domingo, 28 de dezembro de 2008

Ata-me

Ata-me
Em delícia.
No delírio
Do desejo,
Eu sou tudo
Que podes
Querer...
A dor do
Prazer...

Ata-me,
Sou brinquedo
Em tuas mãos.
Laços loucos
Da paixão.
Fantasia
Ou perversão?

Ata-me.
Nós a sós.
Cada um,
Um sonho
De pele.
Fetiche
Em silêncio
E cor.
Ata-me
Ao esplendor.

Ata-me.
Faças o
Que quiser.
Hoje não sou
Eu... Hoje sou
Apenas tua
Mulher.

Ata-me.
Encontre o
Prazer em
Minha entrega
De flor.
Ata-me ao
Amor.
(K. Bardanza)

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Faz-me linda!

Dono de mim,
aquece minha pele
com o calor das velas coloridas
afaga minhas coxas
com o açoite do teu chicote
cala meus gritos
com tua língua faminta
mastiga meu pescoço
com teus dentes atrozes
percorre meus seios
com tua adaga afiada,
escreve teu nome
em sangue quente
lava meu rosto
com minhas lágrimas
de dor e redenção...
enfim, faz-me linda!
(aimée)

Você é

Você é os brinquedos que brincou, as gírias que usava, você é os nervos a flor da pele no vestibular, os segredos que guardou, você é sua praia preferida, Garopaba, Maresias, Ipanema, você é o renascido depois do acidente que escapou, aquele amor atordoado que viveu, a conversa séria que teve um dia com seu pai, você é o que você lembra.
Você é a saudade que sente da sua mãe, o sonho desfeito quase no altar, a infância que você recorda, a dor de não ter dado certo, de não ter falado na hora, você é aquilo que foi amputado no passado, a emoção de um trecho de livro, a cena de rua que lhe arrancou lágrimas, você é o que você chora.
Você é o abraço inesperado, a força dada para o amigo que precisa, você é o pelo do braço que eriça, a sensibilidade que grita, o carinho que permuta, você é as palavras ditas para ajudar, os gritos destrancados da garganta, os pedaços que junta, você é o orgasmo, a gargalhada, o beijo, você é o que você desnuda.
Você é a raiva de não ter alcançado, a impotência de não conseguir mudar, você é o desprezo pelo o que os outros mentem, o desapontamento com o governo, o ódio que tudo isso dá, você é aquele que rema, que cansado não desiste, você é a indignação com o lixo jogado do carro, a ardência da revolta, você é o que você queima.
Você é aquilo que reinvidica, o que consegue gerar através da sua verdade e da sua luta, você é os direitos que tem, os deveres que se obriga, você é a estrada por onde corre atrás, serpenteia, atalha, busca, você é o que você pleiteia.
Você não é só o que come e o que veste. Você é o que você requer, recruta, rabisca, traga, goza e lê. Você é o que ninguém vê.
(M.Medeiros - presente de Phoenix sub, minha gema linda!)

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Origami

Me dobra,
me vinca,
me amassa,
me corta...

Bicho, objeto, brinquedo...
Faz de mim o que desejar
Sou teu pedaço de papel,
teu origami.
(aimée)

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Sob o chuveiro amar

Sob o chuveiro amar, sabão e beijos,
ou na banheira amar, de água vestidos,
amor escorregante, foge, prende-se,
torna a fugir, água nos olhos, bocas,
dança, navegação, mergulho, chuva,
essa espuma nos ventres, a brancura
triangular do sexo -- é água, esperma,
é amor se esvaindo, ou nos tornamos fontes?
(Drummond)

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Reflexos

No espelho
um reflexo
de um corpo...
desnudo,
desconhecido,
descoberto,
desfeito...

No espelho
o reflexo
de um corpo...
coberto
de marcas
roxas, azuis,
vermelhas...

No espelho
o reflexo
de um corpo...
incandescente
vibrante,
intenso,
vivo!

No espelho
o reflexo
de um corpo...
meu corpo?
não mais...
teu corpo,
tua posse!

quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Luxúria

Dobro os joelhos
Quando você me pega,
me amassa, me quebra,
Me usa demais...

Perco as rédeas
Quando você
demora, devora, implora
sempre por mais...

Eu sou navalha
cortando na carne
Eu sou a boca
que a língua invade
Sou o desejo
maldito e bendito,
profano e covarde...

Disfaça assim de mim
Que eu gosto e desgosto,
me dobro,
Nem lhe cobro
Rapaz!
Ordene e não peça
Muito me interessa
a sua potência,
seu calibre
e seu gás...

Sou o encaixe,
o lacre violado
E tantas pernas
por todos os lados
Eu sou o preço
cobrado
e bem pago
Eu sou
um pecado
capital...

Eu quero é derrapar
nas curvas do seu corpo
Surpreender
seus movimentos
Virar o jogo
Quero beber
o que dele escorre
pela pele
E nunca mais
esfriar
minha febre

E nunca mais esfriar,
nunca mais esfriar.
nunca mais esfriar
minha febre!
(Isabella Taviani)

segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Selo: Me amarro nesse blog

Apesar de ser um blog recente, fui indicada para receber esse selo e com a difícil tarefa de indicar outros 5 blogs.
Gostaria de agradecer a indicação feita pela Phoenix.sub.
Leia no blog a indicação.
http://meuamorleonardo.blogspot.com/

O que eu devo fazer agora, depois que indiquei os 5 Blogs?

Tenho que comentar nos blogs indicados, que os indiquei, para que copiem o selo e passem adiante esta: MEME Me amarro neste blog!!!

Pra que serve isso?

Pra unificar o BDSM, pra acabar com individualismos, e pra conhecermos cada vez mais blogs de qualidade!

Como se participa?

Numa de suas postagens, indique 5 Blogs que visitou, gostou e aprovou, e diga o porque da tua escolha!

Existe alguma premiação?

Sim! Os indicados recebem o Selo: Me amarro nesse Blog!“. Somente os Blogs indicados poderão usar o Selo que deverá ser repassado no post.

PS. Acho que amaior premiação é participar de algo importante para o BDSM - Brasil
* Ou seja, você tem de dizer pra copiarem o selo no TEU blog. Daí eles adaptam pro blog deles no tamanho que lhes for melhor.

Tem alguma regra?

É exigido um link que direcione ao Blog de quem te indicou. Pra ficar mais fácil, copie esse post.

sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Reportagem 03

Veja como "domesticar" namorados e maridos

Ele só irá colaborar se entender a importância disso para a relação
Enquete
Você acha possível mudar os hábitos do parceiro?

Se existisse um curso para domesticar homens, pode ter certeza que as vagas já estariam preenchidas até 2015.
Como tal serviço ainda se encontra indisponível no mercado, tentamos ajudá-la nessa missão quase impossível. No entanto, antes de mais nada, você precisa saber que sem a cooperação do seu amado, pouca coisa irá mudar.
Qualquer tipo de manipulação é péssimo para o relacionamento", afirma a psicóloga Renata Soifer.
Na opinião da especialista, tentar mudar o outro é uma agressão, mesmo que a intenção da mudança seja positiva.
Segundo Renata, a saída é mostrar para o parceiro porque você ficou irritada com determinada situação ou mania. "Se ele compreender e entender que isso vai ajudar na relação, vocês terão um acordo", esclarece.
Uma forma de fazê-lo compreender a necessidade de certas tarefas domésticas é sendo sincera. "Se você quer que ele lave a louça, faça um pedido honesto, explique que está cansada e que naquele dia ele poderia fazer tal serviço.
Mas se você exigir que ele lave a louça, ou seja, se fizer disso um exercício de poder, não vai funcionar", exemplifica a psicóloga Silvana Martani.
E quando a cena se repete dia após dia? Um exemplo clássico são as roupas (incluindo as cuecas) jogadas no chão. "A mulher tem que entender porque o homem possui tal atitude. Não ache nada, pergunte. Às vezes nem é intenção dele irritá-la", explica Silvana.
Para a psicóloga, não é eficaz a atitude de "fingir que não está vendo e esperar por uma ação do parceiro". "Isso não funciona, é imaturidade e conspira contra a própria pessoa, pois a mulher ficará mais irritada e, se 'estourar', pode colocar a relação a perder", diz Silvana.Mais uma vez, a solução é a conversa.
E se mesmo depois de um diálogo franco nada funcionar, a profissional dá a dica: "Coloque na balança as atitudes dele. Se equilibrar é porque você está com um homem que vale a pena. Caso contrário, caia fora".
Os opostos se afastamAquela história de que "os opostos se atraem" é coisa do passado. Segundo a psicoterapeuta Suely Molitérno, o casal tem que compartilhar, tem que ter projetos em comum.
"Não temos tempo de viver duas vidas", diz Suely. E ela explica: "A mulher já tem pouco tempo livre, se tiver que fazer o que o outro gosta e não os programas que ela deseja, a relação dificilmente será mantida".
Portanto, de acordo com a psicoterapeuta, o casal deve ter preferências semelhantes. Assim, ambos se desgastam menos e não têm o desejo por mudanças.Ninguém é perfeitoSe engana quem pensa que vai conseguir fazê-lo parar de fumar, beber, sair com amigos, jogar futebol toda sexta à noite, enfim, qualquer que seja o "vício" do amado.
"O outro só irá mudar quando o hábito passar a incomodá-lo", explica Silvana. Portanto, só a vontade da companheira não é suficiente.
O segredo é escolher bem para não reclamar depois que você foi vítima da propaganda enganosa. "Apenas cerca de 5% dos casais têm uma ligação afetiva, que provoca a mudança permanente. Esses parceiros mudam para agradar ao outro e para melhorar a relação, não é preciso cobranças", afirma Suely.
Se você se assustou com esse percentual tão baixo, calma. Aí é que está o centro da questão. "Podemos reverter isso para 95%, basta melhorar na busca.
Mas para tanto, a mulher precisa, primeiro, se conhecer e ter a auto-estima elevada", esclarece a psicoterapeuta.
No mundo da lua. Se o problema do seu namorado for apenas esquecimento ou dificuldade em estar na hora certa no local esperado, simples táticas podem ajudá-la. Veja a seguir:
- Coloque alarmes na agenda do celular dele para recordá-lo de datas especiais;
- Ligue para ele meia hora antes de se arrumar para sair. Dessa forma irá lembrá-lo do encontro e, ao mesmo tempo, você tem uma perspectiva mais exata sobre a hora que ele irá passar para pegá-la;
- Se o caso for grave, vale a pena marcar compromissos sempre com uns minutinhos de antecedência. Por exemplo, se pretende chegar a uma festa às 21 horas, combine com ele às 20h30.
Serviço:Renata Soifer - psicóloga, www.terapeuta.psc.brSilvana Martani - psicóloga, www.psicologa.psc.brSuely Molitérno - psicoterapeuta transpessoal, http://www.suelymoliterno.com.br/

terça-feira, 28 de outubro de 2008

Baby, suporte

Amor escravo de nenhuma palavra
Não era isso que você procurava
Não viu no fundo da retina a mágoa
A luz confusa onde o tudo é nada
A esperança está grudada na carne
Que diferença há entre o amor e o escárnio?
Cada carinho é o fio de uma navalha
Oh, baby, não chore
Foi apenas um corte
A vida é bem mais perigosa do que a morte
Suporte, oh, baby, suporte
Suporte, baby, baby, suporte
(Barão Vermelho)

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Tirando a roupa

Gosto de tirar a roupa
E sentir o teu caralho duro
Enchendo de prazer a minha boca
Deixando-me louca de tesão
Enquanto vou sendo beijada com sofreguidão...

Gosto de tirar a roupa
Virar-me de costas
E oferecer-me por inteiro
Pedindo sorrateira
A tua entrada no meu traseiro.


Gosto de tirar a roupa
E me sentir lambuzada
Inteiramente desejada
Pronta para comer
E ser comida...

Gosto de tirar a roupa
Abrir as minhas pernas
E ficar te sacaneando
Oferecendo a minha vagina quente
Cheia de vontade de ficar molhada.

Gosto de tirar a roupa
E me sentir uma puta
Pronta para ser abusada
Penetrada, amada
Tonta de tesão e dor.

Gosto de tirar a roupa
E sentir as tuas mãos me envolvendo
O teu dedo no meu cuzinho
A tua língua na minha pombinha
E a minha boca no teu pau.

Gosto de tirar a roupa
E de gritar como uma maluca
Com o prazer doidivanas
Que tu provocas no meu corpo
Quando entra em mim ereto.

Gosto de tirar a roupa
E ser obscena
Ser a tua pequena
Ser a tua tarada
Sempre pronta para tirar a roupa...
(Ana C. Pozza)

O beijo


A língua
O beijo
O cheiro
Do amor
A água
A lágrima
Que corre
Cai, e grita
E chora
O beijo.
A língua
A fala, e fala
Do amor
Faz
Constrói
Destrói
E briga
Chora
O beijo
Do amado
Lábios molhados
Do amante
Da água
Da língua
O beijo
Um beijo
E apenas
Beijo
(Carolina Kujawski)

sábado, 18 de outubro de 2008

Serpente


Expurgo meus fantasmas
no silêncio
de minhas reflexões,
destilo meus venenos
e os armazeno,
em minhas presas ofídicas,
transformo-os
em minhas armas
de defesa.

O tempo


O tempo...
Dias, noites, meses...
O tempo passa, incansável,
dia e noite se alternando,
como as ondas do mar.
Nada impede o tic-tac incessante do relógio.
Se você ri ou chora,não importa.
Se você ama ou odeia, não importa.
O tempo nada ensina...
Ele apenas nos dá a oportunidade de seguir em frente, sem cometer os erros de outrora, desde que estejamos dispostos a isso. Esse aprendizado é fruto de atitudes e reflexões, de esperança e perseverança, de crença e fé.
O tempo?
Esse passa, implacável, qualquer que seja nossa postura diante dele.

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Reportagem 02

Galisteu aparece em um ensaio fotográfico realizado pela revista "RG Vogue".
A loira é a capa da edição de setembro da revista.
4.9.2008 - 12h06
Adriane Galisteu é capa da RG Vogue de setembro
"Ainda vou ser líder de audiência", afirma a apresentadora

KARLA ROMERO
Em São Paulo

Em entrevista concedida para a publicação, Adriane Galisteu contou detalhes sobre a atual fase de sua carreira e seus planos futuros. “Vou lançar outro livro, dessa vez contando tudo o que levei para o divã em quatro anos de análise”. Na geladeira do SBT há alguns meses, Galisteu afirma: "Ainda vou ser líder de audiência". O contrato com a emissora vai até 30 de setembro.


Ainda, a loira falou sobre sua vida amorosa. "Estou com 35 anos, não dá para perder tempo com uma relação que não vai agregar. Não perco tempo mesmo. Geralmente sou eu que acabo, mas não levo isso em consideração. Acho até mais fácil que terminem comigo, prefiro mil vezes que tomem a decisão no meu lugar".


Sobre o suposto romance com a cantora Ana Carolina, a loira explica: "Se me apaixonar por outra mulher, se tiver que me relacionar com uma, vai ser para valer. Mas não sou gay, tá?".

A apresentadora completa: "Me pego tomando atitudes totalmente masculinas, mas me controlo para ser mulher e deixar que os meus namorados tomem a frente".
Em entrevista concedida para a publicação, Adriane Galisteu contou detalhes sobre a atual fase de sua carreira e seus planos futuros. “Vou lançar outro livro, dessa vez contando tudo o que levei para o divã em quatro anos de análise”. Na geladeira do SBT há alguns meses, Galisteu afirma: "Ainda vou ser líder de audiência". O contrato com a emissora vai até 30 de setembro.

Ainda, a loira falou sobre sua vida amorosa. "Estou com 35 anos, não dá para perder tempo com uma relação que não vai agregar. Não perco tempo mesmo. Geralmente sou eu que acabo, mas não levo isso em consideração. Acho até mais fácil que terminem comigo, prefiro mil vezes que tomem a decisão no meu lugar".

Sobre o suposto romance com a cantora Ana Carolina, a loira explica: "Se me apaixonar por outra mulher, se tiver que me relacionar com uma, vai ser para valer. Mas não sou gay, tá?".

A apresentadora completa: "Me pego tomando atitudes totalmente asculinas, mas me controlo para ser mulher e deixar que os meus namorados tomem a frente".

Reportagem 01

Papo de Mulher

Só um tapinha não dói?
Uma judoca, uma fetichista e uma ex-bbb se encontram para discutir até que ponto gostam de levar umas palmadas. Por Mariliz Pereira Jorge. Fotos Cris Bierrenbach
Natália, Dani e Morgana:com intimidade tudo fica mais fácil.

Uma declaração em cadeia nacional e pronto, um velho assunto, quase sempre tratado entre quatro paredes, vem à tona. Natália Casassola, 22 anos, modelo e ex-Big Brother, falou para quem quisesse ouvir: 'Na hora H, entre um tapinha e um carinho, prefiro o tapinha'. Levar ou dar umas palmadas é uma forma de realizar uma fantasia, dizem os especialistas. 'Todo desejo é natural desde que ele não tenha um caráter obsessivo.

Cada pessoa tem uma vontade específica, que pode estar na fantasia de submissão ou de dominação, até na própria sensação de prazer que o tapinha possa provocar em cada um', diz a educadora sexual Maria Helena Vilela, diretora do Instituto Kaplan, de São Paulo.

Mas nem de longe esse tipo de comportamento pode se enquadrar na categoria de masoquismo, que ganhou esse nome por causa dos romances escritos pelo austríaco Leopold von Sacher-Masoch ainda no século 19, em que manifestava um erotismo dominado pela volúpia do sofrimento.

'Tapinhas não fazem parte do repertório do sexo baunilha', afirma Morgana Marone, 30, fetichista. Para quem não sabe, sexo baunilha é o tradicional papai-e-mamãe. Levando ao pé da letra a máxima de que 'quando um não quer, dois não brigam', Natália, Morgana e a lutadora de judô Danielli Yuri, 24, que faz parte da delegação brasileira que vai à China, bateram (opa!) um papo extrovertido sobre o assunto.

Um tapinha não dói, mesmo? Natália - Carinho a gente pede para o pai e para a mãe. Com o homem tem de ter um tapinha, uma puxada de cabelo. Danielli - Também gosto. Na cama o carinho tem de ser diferente. Morgana - Eu não gosto de ser subjugada. Nem daquela coisa de o homem te mandar calar a boca. Já aconteceu uma vez de um homem me dar um tapa e eu virei a mão nele. Não consigo me controlar.

'Nunca usei um golpe de judô, mas é uma boa idéia'
Danielli Yuri, 24 anos, judoca
Vocês já pediram para levar uns tapas, uns puxões de cabelo? Danielli - Eu namorava fazia um ano, o sexo era bom, mas sentia falta de um pouco mais de firmeza. Pedi para ele me dar uns tapinhas. Ele fez, mas estranhou. Depois queria saber de onde eu tinha tirado aquela idéia. Achou que eu tivesse saído com outra pessoa. Natália - Sugeri que a gente fizesse alguma coisa diferente na cama. Ele cheio de carinho, achando que estava agradando, e eu querendo que ele me pegasse de jeito. Morgana - No meu caso é mais fácil porque tudo é conversado e combinado antes. O homem sabe que é ele quem vai ser subjugado.

Precisa de intimidade ou dá para fazer logo na primeira vez? Morgana - As pessoas precisam se conhecer e saber o que a outra quer. Eu já dei alguns sustos porque os homens não esperam que uma mulher queira mandar na situação, principalmente do jeito que eu quero. Danielli - É um passinho de cada vez. Não dá para saber como o outro vai reagir. Ele pode ou se assustar ou se empolgar demais. Natália - Com intimidade tudo fica mais fácil.

Algum homem já pediu para levar uns tapas? Natália - Geralmente eles não pedem, mas acho que gostam. Danielli - Nunca pediram, mas também gostam da mulher que tem mais pegada. Você puxa o cabelo na parte da nuca com força, aperta o corpo dele no meio das pernas. Eles adoram. Nunca usei nenhum golpe de judô, mas é uma boa idéia. Morgana - Eles adoram. Pode ser uma puxada de cabelo, uma mordiscada nos mamilos. Mas isso é bem básico. Para mim é sexo convencional.

Vocês já ficaram com algumas marcas? Natália - Ih... muitas. Agora mesmo estou com algumas. Não há como não ficar. Mordida e tapa na bunda deixam lembranças. Danielli - Eu não me lembro de ter ficado, não. Gosto de uns tapinhas, mas tem de ter medida. Morgana - Acontece, mas faz parte do jogo. Existe até quem goste que fiquem as marcas.

' Mordida e tapa na bunda deixam lembranças'
Natália Casassola,
22 anos, ex-BBB
E se o parceiro quiser usar alguns acessórios? Natália - Isso é fetiche de cada um. Comigo não rola. Esse negócio de amarrar, por exemplo, se fizer comigo eu mato. Me dá a maior agonia. Danielli - Apesar de gostar que o sexo seja firme, essa coisa de sadomasoquismo não me atrai nem um pouco. Morgana - Isso é essencial. É a diferença básica entre o sexo baunilha e o sadomasoquista. Os acessórios são mais importantes que a pessoa. São eles que excitam!

O sexo com carinho não tem mais vez, perdeu a graça? Morgana - Acho que não. A mulher não gosta é da monotonia, do comodismo. Um tapinha é só uma pimenta para deixar a relação mais movimentada. Natália - Também é ótimo, desde que o homem não pense só nele. Quem é que não gosta de carinho e de palavras de amor? Danielli - Não perdeu a graça, não. É assim que se começa. Se não souber fazer com carinho, o resto fica difícil.

Vocês acham que muita gente ainda pensa que a mulher que gosta de levar uns tapas é submissa? Natália - Ser submissa na cama é uma coisa, fora dela é outra. E muita gente tem essa opinião porque nunca experimentou. Danielli - Sim, mas sempre ouvi da minha mãe que na cama vale tudo e a mulher tem de se libertar. Sem isso não há casamento que dure. Morgana - Se essa é a fantasia da pessoa, qual é o problema?


Edição 233 - Set/08

quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Sinto em meu corpo

Sinto em meu corpo sua língua.
Que me arde como se fosse um chicote de fogo.
E mesmo que eu não queira me induza jogar o seu jogo.
Me entorpece os sentidos, abafa-me os gemidos até provocar o meu gozo.
Que poder é esse? Que sedução devassa, é essa que sinto sempre que você me abraça?
Só de lhe ver me arrepiaa pele, em choques térmicos.
E me rendo pacífica aos seus desejos hipotéticos.
Me excita e me choca a sua ousadia.
Mas sempre mais e mais, como num crescendo, embarco na sua fantasia.
E quando entregue aos nossos devaneios sentindo em meu corpo os seus meneios, nada mais importa.
Abrimos do desejo as portas, simplesmente porque você é meu homem e eu... sou sua mulher...
(A.V.)

Desejo

Vem...
Que te espero... nua...
Não mais ha lugar para o pudor...

Vem...
que te quero, nu...
Fecha-me os olhos com teus beijos,
faz-me sonhar com teus desejos...
Faça-me mulher com teu ardor...

Vem...
Que quero agora
acariciar teu corpo levemente,
beijar-te os lábios, sofregamente...
Sugar tua seiva com minha
boca quente...

Deixar-me penetrar por teu furor...
Vem...
que sou mulher,
te quero homem,
vem...
deixa-me viver esta fantasia
de amor...
(Asta Vonzodas)

segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Dragões e Princesas


Pensamos que, às vezes, não restou um só dragão.

Não há mais qualquer bravo cavaleiro, nem uma única princesa a passear por florestas encantadas.

Pensamos, às vezes, que a nossa era está além das fronteiras, além das aventuras. Que o destino já passou do horizonte e se foi para sempre.

É um prazer estar enganado.

Princesas e cavaleiros, encantamentos e dragões, mistério e aventura... não existem apenas aqui e agora, mas também continuam a ser tudo o que já existiu nesse mundo.
Em nosso século, só mudaram de roupagem. As aparências se tornaram tão insidiosas que as princesas e cavaleiros podem se esconder uns dos outros, podem se esconder até de si mesmos.

Contudo, os mestres da realidade ainda nos encontram, em sonhos, para nos dizerem que nunca perdemos o escudo de que precisamos contra os dragões; que uma descarga de fogo azul nos envolve agora, a fim de que possamos mudar o mundo como desejarmos.

A intuição sussurra a verdade!
Não somos poeira, somos magia!
Feche os olhos e siga sua intuição.

(Richard Bach, in A ponte para o sempre)

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

Plena mulher


Plena mulher, maçã carnal, lua quente,
espesso aroma de algas, lodo e luz pisados,
que obscura claridade se abre entre tuas colunas?
que antiga noite o homem toca com seus sentidos?
Ai, amar é uma viagem com água e com estrelas,
com ar opresso e bruscas tempestades de farinha:
amar é um combate de relâmpagos e dois corpos
por um só mel derrotados.
Beijo a beijo percorro teu pequeno infinito,
tuas margens, teus rios, teus povoados pequenos,
e o fogo genital transformado em delícia
corre pelos tênues caminhos do sangue
até precipitar-se como um cravo noturno,
até ser e não ser senão na sombra de um raio.
Pablo Neruda

terça-feira, 16 de setembro de 2008

Vale tudo na cama


Vale tudo na cama
Com você vale tudo na cama
Eu te como e você me ama
Bato na sua cara e te chamo de vaca
Você pega o machado e também a faca
Chupa meu pau e pisa em cima dele
Lambo sua xana, bato sua cabeça na parede
Toda ensanguentada do jeito que a gente gosta
Uma martelada me deixa com fratura exposta
Meto o cabo do machado no seu rabo
Gritando de dor você me deixa excitado
Com dois alicates arranco seus mamilos
Enfio eles na sua boca e te faço engoli-los
Enquanto chupo o sangue sua teta
Enfio também a faca na sua buceta
E depois de te arregaçar toda, desgraçada
Você pede mais com cara de safada
Arranca a faca da buceta e do cu o machado
Me amarra na cama e me deixa tarado
Quando aperta meu saco e morde o meu pau
Eu gozo na sua garganta, sexo brutal!